A Microfisioterapia

Microfisioterapia ou, do Francês Microkinesitherapie, é uma técnica de terapia manual desenvolvida na França em 1983 pelos fisioterapeutas e osteopatas Daniel Grosjean e Patrice Benini. Considerada um inovador tratamento complementar da medicina tradicional, a Microfisioterapia tem como base científica a embriologia, a filogênese e a ontogênese, seguindo a mesma linha holística da homeopatia, pois seguem duas leis principais: a cura pela similitude (semelhante cura o semelhante) e pelo infinitesimal (palpação mínima, medicamento diluído).


Com essas informações os criadores desenvolveram mapas corporais específicos (similares aos meridianos de Medicina Oriental) e gestos manuais específicos e suaves que permitem identificar a causa primária de uma doença ou disfunção e promovendo o equilíbrio e manutenção da saúde.


O terapeuta, através da micropalpação, procura no corpo do paciente o local onde forma instaladas as cicatrizes celulares (memórias), as quais provocaram os sintomas. Quando encontradas, estimula-se manualmente desencadeando o processo de autocorreção, reestabelecendo as funções do organismo, eliminando as doenças e promovendo a saúde. A Microfisioterapia pode ser aplicada a todos os indivíduos em todas as idades, com objetivo terapêutico ou não. Sendo o tratamento preventivo ou curativo, a fim de promover a saúde e o bem-estar.


Não espere que os sintomas apareçam, ou mesmo passe anos tentando calá-los apenas com remédios. Entender o que gerou o problema, trazendo à luz da consciência quais eventos vivenciados nos fizeram adoecer já é grande parte do processo de cura.


FUNDAMENTOS DA MICROFISIOTERAPIA:


A Microfisioterapia é uma abordagem manual, diagnóstica e terapêutica, onde o fisioterapeuta se utiliza de um amplo conhecimento da anatomia humana e de todos os tecidos embrionários para identificar a causa primária do sintoma orgânico, ou seja, a "memória celular" que despertar tal sintomatologia, e a partir desta identificação estimula o organismo em um processo de autocorreção.

Os fundamentos da Microfisioterapia são similares aos da Homeopatia e tem alguns princípios básicos de atuação:


A Capacidade de Auto Cura do Organismo Sabemos que todo organismo vivo busca constantemente a homeostase, ou seja, uma estabilidade interior que o protege em relação às agressões do meio exterior e o permite estar em condição de equilíbrio orgânico e em estado de saúde.

Esse é um trabalho diário e silencioso do organismo que identifica o agressor-antígeno (considerando que agressão é todo e qualquer estímulo — físico, tóxico, químico, ambiental, emocional - que possa alterar o equilíbrio orgânico) e combate com os anticorpos produzidos a partir desta identificação.


A Memória Celular Quando ocorrem agressões muito fortes, sejam elas físicas, emocionais, tóxicas, químicas ou ambientais, ou que não são identificadas pelo corpo, este não consegue reagir de maneira eficaz. Neste caso, a agressão deixa uma "cicatriz" nos tecidos, ou seja, uma memória do acontecimento, denominada de: MEMÓRIA CELULAR. A somatória, ou repetição destes episódios podem trazer como consequência dores físicas, doenças e/ou sensação de enfraquecimento do organismo, reduzindo a capacidade orgânica e originando as doenças e dores crônicas.


A Correção Homeopática Samuel Hahnemann, fundador da Homeopatia, enunciou dois Princípios Básicos de cura pelo Infinitesimal (o medicamento diluído) e pela Similitude (o semelhante cura o semelhante).


Na Microfisioterapia retomamos essas leis, com a palpação mínima realizada pelo terapeuta e a semelhança entre o instrumento utilizado (as mãos do fisioterapeuta) e o corpo do paciente. Neste momento o organismo tem a oportunidade de reconhecer o antígeno-agressor, retomando a memória celular do evento agressor, e iniciar a produção de anticorpos e todos os mecanismos de defesa possibilitando a reprogramação e a reparação celular e a volta da vitalidade do tecido.


O Princípio da Micropalpação Com esta palpação o fisioterapeuta busca identificar os movimentos vitais de cada tecido corporal, desde os mais superficiais (epiderme) até os mais profundos (viscerais), sempre utilizando as duas mãos e com diferentes tipos de palpações. O movimento vital do tecido é restabelecido e identificado pelo terapeuta, sendo que cada palpação corresponderá a etiologias e abordagens terapêuticas diferentes. Assim a Microfisioterapia consiste em encontrar a causa primária de um sintoma ou doença e estimular a auto-cura do organismo, por meio da reprogramação celular e tecidual.


INDICAÇÕES: Por ser uma técnica de saúde integral, que aborda todos os aspectos da saúde humana, a Microfisioterapia não se opõe à medicina alopática ou sintomática (medicamentos, cirurgias, etc.), pois não age como um analgésico, por exemplo, que atua simplesmente no sintoma e desconsidera a causa, por isso podemos considerar que a Microfisioterapia e a medicina convencional se complementam.


Sendo indicada, dentre outras tantas situações, nos casos de:

Alergias, enxaquecas, depressão, distúrbios hormonais, síndrome do pânico, alteração no funcionamento dos órgãos (constipação, azia, refluxo), traumas emocionais (perdas, abandonos, separações), doenças de pele, dores físicas (dores lombares, cervicais), dores crônicas, hiperatividade, ansiedade, fobias, agressividade, distúrbios do sono, falta de atenção ou concentração, entre outras.


Pode ser aplicada em qualquer idade, desde recém-nascidos até idosos.

Não existe contraindicação para a técnica, que pode ser realizada em portadores de deficiências físicas e cognitivas, bem como em atletas e esportistas.


DÚVIDAS FREQUENTES:


1- COMO É A SESSÃO?

Após uma anamnese, ou seja, uma entrevista para descobrir as queixas e razões pelas quais o paciente buscou o tratamento, solicitamos ao paciente que se acomode em uma maca, onde o atendimento acontece. Com o paciente já na maca, o fisioterapeuta utiliza vários "mapas" para fazer um rastreamento no corpo do paciente, buscando tanto pelas causas da queixa que o paciente trouxe como quaisquer outras que possam ser encontradas, e ao passo que encontrando estas informações, vai informando ao paciente e simultaneamente, estimulando estas restrições (causas não eliminadas) para que sejam liberadas pelo corpo, estimulando assim a auto cura. É muito comum alguns sintomas apresentarem melhora já no momento do atendimento, assim que o fisioterapeuta estimula o corpo. A palpação no corpo é feita de várias maneiras: pressão, toque, rotação, aspiração etc. Assim, quando a restrição aparece entre as mãos do terapeuta, ele a estimula com um dos gestos metodológicos, reinformando, então, a organização do ocorrido, permitindo-lhe reagir a esse evento, de maneira que se "livrem" dessa memória celular. Como o corpo foi estimulado a eliminar os agentes agressores, poderão surgir reações físicas e/ou emocionais, geralmente sutis, muitas vezes imperceptíveis, que devem desaparecer em poucos dias. A duração de cada sessão pode variar em torno de 60 minutos. Após sessão, é preciso um tempo para o corpo se autocorrigir, como quando se fratura um osso: espera-se um tempo para a correção do problema, depois que se engessa a área fraturada. Assim, o intervalo entre as sessões deve ser, aproximadamente, de 30 a 60 dias. Depois desse intervalo, o paciente passa por nova avaliação e, se necessário, é submetido a outras sessões, que também podem ser feitas de forma preventiva.


2- DEVO ME DESPIR PARA A SESSÃO?

Não há necessidade de se despir, e a roupa não interfere no tratamento. O ideal, é que a roupa seja bem leve, tecidos finos, para facilitar tanto as palpações quanto o conforto do paciente durante a sessão.